Site responsivo o que é e qual a vantagem?

Adaptação a diferentes dispositivos, com uso adequado à dimensão e formato dos mesmos.

Nos sites responsivos o layout automaticamente encaixa-se no dispositivo (PC, celular, tablet, etc) do utilizador, mudando a sua aparência e disposição com base no tamanho da tela em que o site é exibido.

Porquê o Google quer o seu site responsivo?

Todo o site quer ser visto. E para isso, torna-se necessário preenchê-lo com conteúdo rico, de forma a que seja pesquisável em qualquer motor de busca, especialmente no Google e apareça nas primeiras posições. É isso que gera visitas para o seu site e retorno para si.

Mas ter excelentes conteúdos não é suficiente para o Google, o seu site deve também ser compatível com dispositivos móveis, de forma a chegar ao maior número de utilizadores.

Com o número crescente de aplicativos móveis, o Google penaliza sites não responsivos, ou seja, que não respondem a pesquisas móveis e quer garantir que cada utilizador é capaz de aceder à sua escolha instantaneamente.

Com a recente mudança nos algoritmos dedicados ao posicionamento das pesquisas em relação aos sites móveis amigáveis, os sites que não cumprem os critérios serão penalizados, conforme anunciado em 26 de Fevereiro 2015 pelo Google:

‘Starting April 21, we will be expanding our use of mobile-friendliness as a ranking signal. This change will affect mobile searches in all languages worldwide and will have a significant impact in our search results.’

E de que forma o Google faz essa penalização? Simplesmente reduz o seu ranking de busca, reduzindo as hipóteses do seu site ser visto.

Assim, é aconselhável que o seu web site seja responsivo, ou seja, compativel com desktops e dispositivos móveis.

Sites Responsivos = Mais Visualizações = Mais Vendas

Quando os sites são responsivos e correctamente construídos, têm mais visualizações atendendo ao seu melhor posicionamento no google e proporciona uma melhor experiência de navegação ao utilizador, que se traduz em mais vendas ou conversões.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Quer juntar-se ao debate?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *